quarta-feira, 21 de dezembro de 2011

Após 30 anos circulando, último fusca deixa de circular como táxi no Recife

Quem costuma pegar um táxi, especialmente à noite para ir a boate, a balada ou ao cinema em algum canto do Centro do Recife já deve ter se deparado com o táxi de seu Lucas, que chama a atenção não só pelo modelo do carro, um fusca anos 70, como também pelo detalhe da pintura do veículo, de cor laranja-cegueira. O segredo do taxista  para manter seu fusca bem conservado há tanto tempo é simples: ele passa um pano úmido do lado de fora do carro para limpá-lo e garante que cultiva uma certa paixão pelo fusca. Pela manhã, ele conserta algum defeito de seu táxi e à noite sai para rodar com o veículo.

Conhecido por Lucas pelos companheiros de profissão que fazem ponto no Hospital da Restauração, no Derby, o aposentado Amaro Bernardo da Silva é dono do famoso fusca desde 1979, quando abandonou o emprego de caminhoneiro e descobriu a paixão pelo ofício de taxista. Desde então, foram três décadas de história rodando pelas estradas da Região Metropolitana do Recife, totalizando o equivalente a 17 voltas ao mundo. Dentro do carro o taxista coleciona histórias pitorescas, pois ao longo de tanto tempo ele afirma que já viu de tudo. Entre as histórias do velho táxi, seu Lucas recorda de uma mulher grávida que deu a luz dentro do fusca.

Seu Lucas cultiva uma certa paixão pelo carro
O tempo transformou em exclusividade um carro que se destacou por ser o único modelo a rodar na capital pernambucana, depois de antigos trambolhos saírem da frota, disputando espaço com os atuais quatro-portas moderninhos. Apesar disso, há quem prefira viajar no saudoso e nostálgico fusca de duas portas, contemplando os prédios e ruas pelo prazer de andar num carro tão antigo. Além de manter o veículo bem conservado, seu Lucas garante que ele nunca quebrou com passageiro dentro, estando em ótimas condições de circular.

Entretanto, o dedicado motorista não conseguiu recadastrar seu fusca na Companhia de Trânsito e Transporte Urbano-PE (CTTU), como fazem os taxistas todos os anos. Isso porque atualmente, a CTTU não permite mais a circulação de táxis de outrora nas ruas. Hoje a Companhia determina que a frota seja composta por automóveis fabricados após 2005, todos branquelos, que é a cor padrão.

Sem mais razão para operar como táxi, o velho fusca KFJ-6216 preenche todo o tempo livre de seu Lucas, que agora faz planos de rodar com o carro só por amor à direção, sem mais passageiros como nos velhos tempos. A despedida da “estrela” é marcada por aplausos em bares noturnos e olhares curiosos de pessoas da nova geração, acostumadas com os táxis de quatro-portas equipados com GPS e ar condicionado.

Fotos: diariodepernambuco.com.br

segunda-feira, 21 de novembro de 2011

TV Clube Pernambuco é a primeira emissora do país a exibir versão local do Brasil Urgente

A TV Clube de Recife, afiliada da TV Bandeirantes em Pernambuco, é a primeira emissora da cadeia de afiliadas da Band a exibir a versão local do programa Brasil Urgente, que mostra as ocorrências policiais do dia a dia. A escolha da emissora dos Diários Associados partiu de uma decisão da própria Bandeirantes, que em breve selecionará outras afiliadas pelo país para exibir o formato local do telejornal.

A versão local do Brasil Urgente foi moldada no mesmo estilo da versão nacional apresentada por Datena. Comandado por Josley Cardinot, o programa é apresentado de forma mais popular pelo jornalista, que atua há nove anos com o jornalismo policial em Pernambuco. Formado em Jornalismo e Direito Criminal, Cardinot iniciou sua carreira na televisão na TV Clube em 2002, que o projetou como um dos nomes de destaque no cenário jornalístico do estado.

Cardinot atua há nove anos no jornalismo policial em Pernambuco
Além de ter ganhado a versão local da atração, a população pernambucana ainda pode interagir com o programa através das redes sociais, enviando denúncias e reclamações, o que torna o programa mais dinâmico, além de estabelecer um canal direto de comunicação com a população. As reportagens ao vivo têm ganhado mais espaço, trazendo as notícias em tempo real. O programa vai ao ar de segunda à sexta às 16h50 da tarde, no canal-9. Logo em seguida vem o Brasil Urgente na Band com Datena.

Foto: Sarah Eleutério/DP/D.A. Press

segunda-feira, 14 de novembro de 2011

Recife já entra em clima de fim de ano e lojistas apostam no aumento das vendas


Os lojistas apostam no aumento das vendas

Faltando menos de dois meses para o fim do ano, as vendas no comércio recifense já estão aquecidas. A expectativa dos lojistas é que as vendas aumentem, já que nessa época do ano a demanda de clientes é bem maior. As lojas de roupas e calçados são as mais procuradas e muitas dessas empresas estão contratando funcionários temporários de fim de ano.

Algumas pessoas que preenchem essas vagas são efetivadas e conquistam o primeiro emprego. Nas ruas do Centro do Recife não é difícil perceber uma maior aglomeração de pessoas com sacolas e compras nas mãos. Acreditando no grande potencial de vendas dessa época do ano, muitos lojistas reforçam o estoque de mercadorias para atender a grande quantidade de clientes.

Desde o último dia 12, as lojas do Centro do Recife abrem normalmente aos domingos e feriados, medida que deve prevalecer até o último dia do ano para quem deixou as compras de última hora. A expectativa é aumentar as vendas em 8% em relação ao ano passado. Nem a chuva dos últimos dias desanimou os clientes que saíram para gastar nesses últimos dias. Com a tradição de começar o ano de roupa nova, muita gente encheu as lojas que vendem roupas. Os comerciantes do Recife estão animados com o aumento no movimento.

Foto: diariodepernambuco.com.br

domingo, 6 de novembro de 2011

Cemitério do Recife guarda histórias sobre a cidade


Para muita gente pode parecer estranho, mas passear entre jazigos e catacumbas no Cemitério de Santo Amaro, na Zona Norte do Recife e ver de perto túmulos de personalidades como o do abolicionista Joaquim Nabuco, do compositor Capiba, do escritor Gilberto Freire, do ex-governador de Pernambuco Miguel Arraes e de tantos outros personagens da cultura pernambucana no passado é um convite a conhecer um pouco da história do Recife.

Manoel Borba, Maciel Pinheiro e Conde da Boa Vista, que dão nome a alguns endereços do Recife, até hoje estão sepultados no Cemitério de Santo Amaro. Quem caminha nas ruas do cemitério pode conferir de perto a história de cada pessoa lá enterrada, nas inscrições de pequenos textos nas lápides, alguns já apagados pelo tempo. Também há uma capelinha com imagens de santos nos fundos do cemitério, um ambiente religioso para católicos.

Para devotos dessa religião, já é tradição visitar os entes queridos que já partiram no dia de Finados, que acontece todos os anos, onde é celebrada uma missa pelo então arcebispo de Olinda e Recife, Dom Fernando Saburido. Para os católicos, a morte não é o fim de tudo, e sim o recomeço de uma nova vida.

Em túmulos cheios de presentes, homenagens, velas e flores, também é possível conhecer a história da Menina Sem Nome, que é assim chamada porque nunca foi identificada, morta na década de 70 na praia do Pina, de causas que até hoje são desconhecidas. Na época, houve até suspeita de abuso sexual, denúncia que não foi comprovada. Alguns católicos atribuem milagres e graças alcançadas à menina.

Também se pode conferir de perto a história do menino Alfredinho, morto no fim da década de 1950 com 11 anos de idade. A foto do menino, ainda em preto e branco estampada em sua lápide e com alguns detalhes apagados expõe o desgaste feito pelo tempo ao longo de cinco décadas. Estátuas e estatuetas fazem parte do cenário que integra o cemitério, que contrasta com a superlotação de túmulos, ostentando ao cemitério de Santo Amaro o título de um dos maiores cemitérios públicos de Pernambuco.

Foto: Karoline Fernandes/Rádio Jornal

quinta-feira, 27 de outubro de 2011

Recife Antigo cai no esquecimento e bairro entra em decadência

O Recife Antigo ou Bairro do Recife, como também é conhecido, localizado na área central da capital pernambucana entrou em segundo plano na atual gestão do poder público e vem perdendo espaço como alternativa de lazer nos últimos anos. O bairro figura como um dos cartões-postais da cidade, tendo como alguns locais de referência a Praça do Arsenal, o Marco Zero e a rua do Bom Jesus, esta última contendo bares e restaurantes que fazem do endereço um espaço frequentado por jovens, boêmios, artistas, intelectuais e jornalistas que não dispensam um chope após o expediente.

A luta de moradores e frequentadores do Recife Antigo para salvar o bairro ganha força nas redes sociais, com a mobilização de centenas de pessoas que reinvindicam uma revitalização para a localidade. Com poucos bares que funcionam à noite, a região é marcada pela presença de flanelinhas e a falta de segurança. Os shows e eventos gratuitos, promovidos pela Prefeitura do Recife para devolver a vida ao Recife Antigo, até agora não foram suficientes para despertar o interesse da maioria das pessoas que buscam lazer e diversão.

Mas não é a primeira vez que a administração municipal tenta, sem sucesso, recuperar o Bairro do Recife. Quando Jarbas Vasconcelos foi prefeito do Recife entre 1986 e 1989, foi criada uma Comissão de Reestruturação do Recife Antigo, que reunia representantes de diversas secretarias. Já durante a segunda fase da gestão de Jarbas na prefeitura (1993/1997) o então secretário de turismo do Recife, Carlos Eduardo Cadoca, implementou ações para reerguer o polo de cultura do Recife Antigo, como a promoção de eventos culturais no bairro para chamar a atenção do público através do São João, carnaval, seresta e o Dançando na Rua.

Mas ainda segundo Cadoca, o processo de recuperação do Recife Antigo foi interrompido em 2001, na gestão do então prefeito do Recife na época, João Paulo, do PT. Hoje a situação do local é de abandono, com algumas ruas pouco iluminadas e o medo da violência por conta de bandidos e criminosos que se aproveitam da situação para cometer roubos ou consumir drogas na região. Em julho passado, pessoas já assaltadas no bairro organizaram um manifesto através do Facebook, que contou com a mobilização de mais de 13 mil pessoas que cobravam do poder público ações de melhorias no bairro.

Foto: ne10.com.br

sexta-feira, 21 de outubro de 2011

Buracos em pistas e calçadas causam transtornos a motoristas e pedestres no Recife

Buracos na rua Imperial, Centro do Recife
A grande quantidade de buracos e de calçadas deterioradas com o tempo atrapalha o deslocamento de veículos e pedestres numa cidade. No Recife não é diferente. Na capital pernambucana, os buracos representam um desafio para a mobilidade urbana e o atraso de uma região que se prepara para receber uma copa do mundo. Em dias de chuva, a situação piora para quem precisa transitar a pé em trechos alagados, principalmente em ruas que não são pavimentadas.

Além disso, a demora no conserto de crateras abertas por diversos órgãos tem prejudicado a circulação pelas ruas do Recife. Provocados por diversos agentes, os buracos se multiplicam em meio a um impasse entre os responsáveis pelo serviço e a população, quando, por exemplo, a Companhia Pernambucana de Saneamento (Compesa) decide quebrar o calçamento de uma rua para realizar o conserto de uma tubulação. Ao final do trabalho, os funcionários da empresa vão embora sem reparar o dano ocasionado.



As depressões que são feitas na cidade por órgãos públicos e empresas privadas são alvo de constantes reclamações da população, que reinvindica da prefeitura melhores condições para poder circular nesses locais. Mas muitos se negam a fazer o conserto e confundem moradores dessas localidades quando alegam que a responsabilidade é da prefeitura. Porém, a Prefeitura do Recife diz que a responsabilidade é de quem causou o problema. A Compesa, a Companhia Pernambucana de Gás (Copergás), o Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (Dnit) entre outros órgãos públicos e privados, como empresas de telefonia estão entre os causadores dos buracos recifenses.

A grande quantidade de crateras cobertas por água, pedras ou entulhos viraram uma armadilha para veículos e pedestres. Em contrapartida, a Prefeitura do Recife tenta sanar temporariamente o problema com a Operação Tapa Buraco, onde caminhões com funcionários da Empresa de Limpeza Urbana (Emlurb) circulam pela cidade na tentativa de minimizar os problemas decorrentes dos buracos e crateras abertas no asfalto.

Mas o problema dos buracos não se resume apenas em ruas e pistas de pouco movimento. As BRs que cortam o País também carecem de infraestrutura. Em muitos trechos, o mato esconde placas de sinalização complicando a vida de motoristas que seguem pelas rodovias temendo ser alvo de bandidos, que se aproveitam da situação precária das estradas para cometer assaltos. Para se ter uma dimensão do problema, muitos motoristas são obrigados a diminuir a velocidade quando se deparam com trechos esburacados, e isso favorece a ação dos criminosos.

As péssimas condições das estradas brasileiras revelam um atraso na área de transportes do País. Como o Brasil utiliza pouco as ferrovias, o crescimento econômico da nação fica totalmente ligado ao pouco eficiente sistema rodoviário. Os buracos se estendem do Oiapoque ao Chuí e mostram a necessidade de uma intervenção do governo. A má conservação das estradas brasileiras é apontada como o principal problema de infraestrutura do País.

Buracos do Recife ganharam página na internet

Um site na internet foi criado para registrar os buracos nas vias do Recife e cobrar soluções do poder público. As pessoas podem acessar o site através do endereço eletrônico buracosdorecife.com.br. Na página, fotos de locais que sofrem com o problema e seus respectivos endereços. Os organizadores do site apresentam a página na internet como manifesto de protesto para cobrar ações efetivas da Prefeitura do Recife com relação ao problema.

terça-feira, 18 de outubro de 2011

Santa Cruz finalmente consegue o tão sonhado acesso à série C do Brasileiro

O empate entre os times garantiu o acesso do Santa à série C
Os tricolores, principalmente os que torceram e vibraram em campo ou em frente a TV por uma virada no último jogo entre o Santa Cruz e seu adversário no domingo passado (16), o Treze (PB), agora têm um grande motivo para comemorar. Jogando no estádio Amigão, na Paraíba, o Santa não marcou o placar, ganhando a partida, mas também não perdeu. Ou seja, 0x0 entre os times, resultando num empate que automaticamente classificou o Santa Cruz na série C da tabela do Campeonato Brasileiro.

Nos momentos do jogo, o clima era tenso entre os torcedores do Santa pelo fato do clube não conseguir virar o placar marcando o tão esperado gol. Mas o coral também não decepcionou seus torcedores na partida, ao impedir que o Treze assumisse a posse de bola dentro de campo. O jogo foi marcado por expulsões do time adversário e oito cartões amarelos.
 
Cerca de 60 mil torcedores vibraram com a conquista do Santa Cruz em Campina Grande, onde os jogadores estavam obstinados a virar o placar na semifinal do Campeonato. O time coral já estava a dois anos na série D, e precisava dar uma virada no placar para a alegria de milhares de torcedores que traziam consigo a esperança do título nacional.

Já o Treze da Paraíba não perdeu as esperanças. Apesar de não ter subido no placar, permanecendo na série B, o time volta para casa aguardando o tão sonhado acesso à série C do Brasileiro. O técnico do Treze destacou a importância dos jogos decisivos contra o Santa Cruz, trabalhando o lado emocional de seus jogadores antes da partida.

Foto: www.folhadosertao.com.br

quarta-feira, 12 de outubro de 2011

Roubos e assaltos a bancos cresceram nos últimos anos

A população teme pela segurança nos bancos
Os caixas-eletrônicos de bancos viraram alvo fácil dos bandidos. As investidas vêm ocorrendo com maior frequência nos últimos anos, arriscando a vida de quem depende dos bancos para realizar saques e transações bancárias e de quem trabalha neles. Diante de tantos casos, as autoridades demonstram preocupação em diminuir a ação de bandidos e muitos bancos adotaram medidas de segurança para garantir maior tranquilidade nas agências bancárias, como a proibição do uso de celulares e a implementação do dispositivo antifurto nas agências.

Segundo a Secretaria de Defesa Social de Pernambuco (SDS), este ano aconteceram 55 casos de explosão ou arrombamento no estado, superando os 27 ataques do ano passado. Mas não é só Pernambuco que lidera o ranking de roubos a banco. Outros estados do Nordeste também apresentaram estimativas alarmantes, como o Piauí, Ceará, Rio Grande do Norte e Paraíba. A Paraíba apresentou o maior número de ataques esse ano. Foram 63, dos quais 50 os bandidos conseguiram fugir com o dinheiro.

Somados, os roubos a banco nesses estados chegam a 155. O Piauí foi o único estado do Nordeste que não divulgou os dados dos roubos nas agências bancárias. Apesar disso, essas unidades da Federação se uniram para tentar diminuir as ocorrências. Em agosto, uma reunião conjunta com representantes dos estados de Pernambuco, Piauí, Rio Grande do Norte e Paraíba foi realizada no município de Souza (PB) para discutir ações de segurança pública nos bancos. Outra reunião ocorreu no início de setembro passado, desta vez em Mossoró (RN).

Os caixas-eletrônicos viraram alvo fácil dos criminosos
A união dos estados do Nordeste que apresentam maior indíce de ataques a bancos é um passo importante para ajudar as autoridades a combater esse tipo de crime, traçando estratégias e repassando informações às polícias de cada região, já que os roubos a banco ultrapassam fronteiras. Segundo o secretário de Segurança Pública cearense, coronel da Polícia Militar Francisco Bezerra, "os bandos atuam de forma interestadual." Ele ainda é um dos responsáveis por estimular o trabalho integrado. No caso de cédulas de dinheiro manchadas de vermelho, o Banco Central orienta a população a entregar as notas para análise em qualquer agência bancária.

Bancários reinvindicam mais segurança

Assim como na Paraíba, a sensação de insegurança nos bancos em Pernambuco não é diferente, já que o estado ocupa a 4° posição no ranking de insegurança bancária no Brasil, segundo dados do Jornal dos Bancários de Pernambuco. O sindicato da categoria já discutiu, em março deste ano, ações de segurança bancária com a Federação Nacional dos Bancos (Fenaban), em São Paulo. O objetivo do encontro foi discutir a pauta de reinvindicações dos bancários. Além disso, Recife e Olinda aprovaram uma nova lei, no ano passado, que garante mais segurança nos bancos, que é a proibição do uso de celulares no interior das agências.

Fotos: vanderleideoliveira.wordpress.com e gazetadevarginha.blogspot.com

quinta-feira, 6 de outubro de 2011

Número de motociclistas aumenta no país e acidentes de motos já chegam a 10 mil por ano

O aumento no número de acidentes de moto nos últimos anos preocupa as autoridades
Os acidentes de moto vêm aumentando a cada ano e estatísticas mostram que motociclistas morrem mais que vítimas de armas de fogo. Segundo dados do jornal AquiPE, no ano 2000 1.124 vítimas de armas de fogo foram atendidas no Hospital da Restauração no Recife. Acidentados de motos eram 344. Em apenas dez anos, outro cenário alarmante: 3.345 acidentados de motos contra 996 vítimas de morte por arma de fogo. Ou seja, em 2010, acidentes envolvendo motos causaram o internamento de mais de três mil pessoas no Hospital da Restauração.

No estado de São Paulo não é diferente. Os acidentes por motocicletas representa 19,5% das internações no Hospital das Clínicas, onde a maior parte dos acidentados são do sexo masculino, correspondendo a 89,3% das vítimas. Os atropelamentos ainda são a maior causa de entradas no HC na capital paulista com 20,5% das internações. Nos últimos anos, as motos se popularizaram, com o aumento no número de motociclistas e, consequentemente, de acidentes.

Este ano, foi implantado um comitê em Pernambuco na tentativa de reduzir os acidentes
Em Pernambuco, só em 2010 ocorreram 589 mortes de acidentes de moto. Isso representa 31% de todas as mortes por acidentes de trânsito no estado. Em vinte anos, a frota de motos cresceu 20 vezes aqui no estado. Os dados são de abril deste ano e mostra que a frota era de 674.002 veículos. Hoje as motos são sinônimo de mobilidade e praticidade, são utilizadas como fonte de renda por muitos motoboys ou, simplesmente, como hobby. Entretanto, os altos índices de mortes e internações de motoqueiros vêm causando preocupação e estimativas apontam que condutores desses veículos, em sua grande maioria, não utilizam equipamentos de proteção adequados, como joelheiras, cotoveleiras e equipamentos reflexivos.

Para isso, um comitê foi criado em Pernambuco em maio deste ano com o objetivo de criar estratégias para minimizar o problema. Intitulado de Comitê Estadual de Prevenção aos Acidentes de Moto, o projeto prevê, entre uma das medidas, a criação de uma norma pelo Detran-PE que obrigue os motociclistas profissionais, como motoboys e mototaxistas a usar equipamentos de proteção. Além disso, uma campanha educativa foi implementada em setembro deste ano para conscientizar os motoboys da importância da segurança no trânsito.

A falta de cuidado no trânsito por parte dos motociclistas tem gerado uma epidemia de acidentes nos últimos anos, tornando-se um problema de saúde pública. E o aumento na frota de motos confirma os dados preocupantes: crescimento de 18% no número de motocicletas no estado de Pernambuco até o primeiro semestre deste ano, juntando os dados com o mesmo período de 2010. Estima-se que entre 2012 e 2021, 143 mil pessoas vão morrer em acidentes com motos no país. A quantidade de vítimas que perdem a vida nesses acidentes, por ano em Pernambuco, já é maior do que a própria frota motociclística do estado, que detém 0,5% da frota de motos no Brasil, onde as estatísticas apontam um futuro com mais motos nas ruas do que automóveis. Frear os sucessivos acidentes e criar novas políticas públicas de mobilidade urbana é um desafio para os gestores públicos.

Fotos: pe360graus.globo.com e Priscilla Buhr/JC Imagem

sexta-feira, 23 de setembro de 2011

Rua Imperial amarga o abandono e moradores aguardam a tão sonhada revitalização da via

Trecho da rua Imperial em época de preparativos para o carnaval - foto de 2009
A rua Imperial, encravada no coração do Recife, já foi símbolo de desenvolvimento no início do século passado. Nos seus 1,5 km de extensão, a via liga o Centro do Recife ao bairro de Afogados e coleciona histórias de um Recife do passado, com casarões e prédios antigos. Mas nas últimas décadas, a debandada de moradores é visível. De dia, comércio, oficinas, ferro-velho, engarrafamentos. À noite, o medo da violência.

Sinônimo de apogeu nos anos 50 e 60, a rua foi perdendo seu potencial econômico com a desvalorização dos imóveis da área. Poucas famílias restaram no local para contar a história. A maioria dos apartamentos e residências estão abandonados. Sem vida, essas habitações se tornam vítimas da degradação. Fora isso, a situação da rua Imperial deixa a desejar quando chove e vêm os alagamentos. Em alguns trechos, poucos se arriscam a transitar a pé em dias chuvosos.
Em alguns trechos, os alagamentos em dias de chuva dificultam o deslocamento de veículos e pedestres
Os moradores, porém, não perderam as esperanças de recuperação da Imperial e vivem à espera do progresso. Muitos continuam morando na localidade pela proximidade do Centro do Recife (onde se encontram supermercados, farmácias, teatro, cinema, camelodrámo) e por ser paralela à Avenida Sul - que abriga os pontos de ônibus de diversas linhas da Zona Sul do Recife e os ônibus que se dirigem ao Centro da cidade.

Os moradores mais antigos da Imperial cultivam uma certa "paixão" pelo endereço. Isso porque já se acostumaram, no decorrer do tempo em que residem na via, com a rotina de trânsito, comércio, agitação e, inclusive, a saída de alguns vizinhos que se mudaram para outros locais, mas que construíram sua história de vida num pedacinho da Imperial. Apesar de poucas e cada vez mais raras, as conversas de vizinhos que se sentam na calçada da rua são mantidas até hoje e só são limitadas pelo medo da violência.

Fotos: Humberto Paiva e www.panoramio.com.br

terça-feira, 20 de setembro de 2011

Greve dos Correios atrasa correspondências em todo o país

A maioria dos funcionários aderiu à paralisação em todo o país
A greve da Empresa Brasileiro de Correios e Telegráfos pegou muita gente de surpresa. Desde a 0h do dia 14 deste mês, funcionários dos Correios de 24 estados do Brasil aderiram à greve, que parece estar longe de acabar. A empresa de correspondências realiza a entrega de milhares de cartas e de caixas de objetos aos seus destinatários todos os dias no país, e com a adesão da greve esse número se acumulou gerando transtornos à população que depende da estatal. Como não há outra empresa no país que realize este tipo de serviço, de monopólio exclusivo dos Correios, muita gente ainda espera para receber correspondências.

A maioria dos funcionários que aderiram à greve foram os carteiros. Com a proximidade do final do mês, começam a chegar as faturas que têm vencimento para o início de outubro. Com isso, os usuários têm que ficar atentos à cobrança indevida de juros. Segundo a gerente de fiscalização do Procon em Pernambuco Solange Ramalho, o ideal seria os consumidores buscarem outros meios para pagar as contas, como a internet e o débito automático.
Enquanto greve não tem fim, correspondências se acumulam
Enquanto a greve não tem fim, as agências abrem normalmente em todos os estados com número de funcionários reduzido, a coleta de correspondências em domicílio suspensa e somente as cartas mais urgentes sendo entregues, depois de passarem pela triagem para serem levadas até o destino por um funcionário. Em todo o país, estima-se que até agora 28 milhões de cartas deixaram de ser entregues com a paralisação.

Em Brasília, funcionários e a direção da empresa não chegaram a um acordo e as negociações foram suspensas. Apesar das agências funcionarem normalmente no atendimento, o impasse dos Correios é na área operacional, ou seja, na distribuição. Segundo a direção da estatal no Distrito Federal, 40% dos carteiros estão parados. Já para funcionários de outros setores, a adesão chega a 70%. Os trabalhadores reinvindicam aumento do piso salarial de R$ 1.635,00, ao invés dos R$ 807,00 oferecidos pela empresa, pagamento de perdas salariais, reajuste no vale-refeição entre outras propostas.

Fotos: www.jcnet.com.br e www.matogrossonoticias.com.br

quarta-feira, 7 de setembro de 2011

Tecnologia à serviço da fé: igreja aceita dízimo pelo cartão de crédito

Foto: emprestimo.net
Em Minas Gerais, a igreja Nossa Senhora Rainha, no bairro Belvedere, bairro nobre de Belo Horizonte, é exemplo de inovação e pioneirismo em sua administração. Há 12 anos, o padre Alexandre Fernandes de Oliveira, de 43 anos, administra a paróquia que, no começo do seu ministério, contava com apenas 20 fiéis na missa, uma igreja inacabada e um salão paroquial.

Depois de mudanças na forma de gerenciar a igreja e com a adoção do sistema de dízimo eletrônico, o templo ganhou sistema de som digital, isolamento acústico nas paredes, ar condicionado central, além de telões que retransmitem a celebração para quem chegou tarde e ficou do lado de fora da igreja. A novidade do dízimo eletrônico agradou os fiéis.

A igreja ainda dispõe de ambulatório médico, que atende 15 mil pessoas carentes, com a ajuda de 46 médicos e 36 dentistas voluntários. Atualmente a igreja recebe 6 mil fiéis que acompanham as missas aos domingos. A ideia do padre Alexandre trouxe retorno e satisfação para a comunidade católica. Formado em administração paroquial, o padre montou um conselho econômico na igreja e tem até um contador. A equipe que coordena a arrecadação do dízimo do Belvedere conta com 16 integrantes.

Igrejas evangélicas

Algumas igrejas evangélicas pelo Brasil também adotaram o sistema de dízimo eletrônico, como a Universal, a Mundial e a Igreja Internacional da Graça. A Igreja da Graça, do pastor R. R. Soares, lançou uma nova modalidade de coleta de dízimo entre os fiéis, que é realizado por meio do débito automático em conta-corrente, além do cartão de crédito da igreja, que permite pagar as compras em até 40 dias, financiar no crédito rotativo e fazer saques de emergência no Brasil e no exterior, entre outras vantagens. 

Em seu programa na Band, Soares afirmou que o membro da igreja poderá fazer suas doações mensalmente da forma mais prática. Para isso, deve preencher um cadastro no site da igreja e passar seus dados bancários. As operações são realizadas dentro da legalidade. Para criar o "dízimo em conta-corrente", a Igreja Internacional da Graça firmou parceria com Itaú, Banco do Brasil e Bradesco.

sábado, 3 de setembro de 2011

Pelas nações: bispo Macedo realiza jornadas de sacrifício que poucos suportariam

Subida ao Monte Sinai para levar pedidos de oração de fiéis
O bispo Edir Macedo, líder e fundador da Igreja Universal do Reino de Deus (IURD), não conhece a palavra cansaço. Quando se trata de levar a mensagem de fé pelo mundo, através de sua religião, ele não demonstra fadiga, estresse ou apatia. Muito pelo contrário. Ele sempre apresenta ideias novas para o crescimento do seu ministério. A Igreja Universal, presente em mais de 180 países, realiza diversos trabalhos sociais e evangelísticos pelo mundo com o objetivo de apresentar a todos a salvação através de Jesus.

Antes mesmo de fundar a Igreja Universal, em 1977, Edir Macedo já tinha esse sonho de propagar o evangelho pelo mundo. Em seu blog, o próprio bispo Macedo escreveu, no final de 2009: "moro praticamente num avião. A Ester (esposa do bispo) já consegue fazer uma mala em poucos minutos". Baseando-se na história dos 34 anos da IURD, comprova-se que o bispo já deu mais de duas voltas ao mundo em viagens missionárias, num trabalho que vem se intensificando nos últimos anos.


Em seu roteiro missionário, ele já fez dezenas de deslocamentos pelo mundo, passando por todos os continentes, para levar esperança e fé a todos os povos. De tanto viajar de avião, ele enfrentou bruscas mudanças climáticas e os efeitos de tanta permanência em aviões, nem sempre confortáveis, mas com muita disposição. Além dos voos, o bispo subiu o Monte Ben Nevis, na Escócia e o Monte Sinai, no Egito (foto acima), para levar os pedidos de oração das pessoas que participaram da Fogueira Santa de Israel.

História

A Igreja Universal foi fundada em 1977, funcionando num pequeno coreto de uma praça do subúrbio carioca, o Jardim do Méier. De lá o bispo pregava, chamando a atenção de quem passava pelo local. Inicialmente chamada de A Cruzada do Caminho Eterno e, posteriormente, Casa da Bênção, mudou de nome definitivamente para Igreja Universal do Reino de Deus dois anos após sua fundação. O público nunca era dos maiores, mas Edir saía de casa, todos os sábados, com um teclado simples, uma caixa de som, um microfone e uma Biblía. Subia, então, os sete degraus do pequeno coreto e começava a pregar. Tempos depois, o número de fiéis foi aumentando, e o pastor Macedo alugou um galpão de uma antiga funerária na avenida Suburbana, no bairro da Abolição, Rio de Janeiro, que abrigaria os cultos da igreja. Hoje, depois de trinta anos, a Universal é a terceira maior instituição religiosa do mundo.

domingo, 28 de agosto de 2011

Igreja Católica tem crescente perda de fiéis nas últimas décadas


A crescente perda de fiéis da Igreja Católica Apóstolica Romana nas últimas décadas vem preocupando o papa. Os escândalos de abuso sexual envolvendo padres e bispos reforçam essa estatística. Na Bélgica, a igreja Católica se esforça para contornar escândalo de pedofilia. O papa Bento XVI confirmou a debandada de seguidores em discurso para os bispos brasileiros em Roma, na Itália, no ano passado.

Por um lado, enquanto a Igreja Católica registra uma diminuição no número de fiéis, as igrejas evangélicas vêm obtendo um aumento significativo no número de adeptos, sobretudo dos católicos que migram para a religião evangélica. Segundo dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), os católicos que representavam 93,5% da população em 1950, eram 73,7% no último censo, realizado no ano 2000.

Este ano o IBGE prepara novo censo e a tendência é que o percentual de católicos continue diminuindo, enquanto o de evangélicos venha a aumentar. Preocupada com a diminuição do "rebanho", a Igreja Católica adotou a criação de novos santos pelo mundo na tentativa de popularizar a religião e acelerou o processo de beatificação deles. O papa João Paulo II, falecido em 2005 e a Madre Teresa de Calcutá são dois fortes candidatos que concorrem à canonização.

Não é à toa que a diminuição do número de seguidores reflete o declínio do absolutismo da Igreja Católica, que coincide com o avanço das denominações evangélicas e de outras crenças. Hoje, os evangélicos já são 20,3% da população brasileira. Especialistas apontam várias razões para a perda de espaço do catolicismo e para o crescimento das igrejas evangélicas e do grupo dos sem-religião, conhecidos como agnósticos. Uma delas é a postura mais incisiva dos evangélicos em conquistar novos fiéis, além do aumento da oferta de religiões no país.

Porém a Igreja Católica tenta se aproximar de seus seguidores e recuperar o espaço perdido, através do Movimento Carismático Católico, que tem o padre Marcelo Rossi como expoente máximo. A igreja, que durante décadas manteve-se com seu verdadeiro império de poder sobre a humanidade - ostentando o título de uma das maiores instituições religiosas do planeta - hoje perde terreno para os evangélicos. Atrás da Católica, a Universal e a Assembleia fazem parte da lista das maiores organizações religiosas do mundo.

domingo, 7 de agosto de 2011

Ladrão atrapalhado dorme em assalto e é capturado pela polícia


Um caso inusitado aconteceu em Olinda, Região Metropolitana do Recife (RMR), na manhã do dia 4 do mês passado. O desempregado Cláudio Ricardo Freitas dos Santos, de 21 anos, aparentava sinais de embriaguez e teria quebrado a vidraça da porta de entrada da agência do Itaú, na avenida Getúlio Vargas, com uma marreta. Após invadir o banco, o acusado teria pegado no sono e adormecido no chão do interior do prédio, próximo aos caixas eletrônicos.

A polícia chegou ao local logo após o alarme da agência bancária soar. Quando os policiais chegaram, encontraram o rapaz deitado no chão, que demorou quase dez minutos para acordar. Segundo informações da polícia, o rapaz teria chegado à agência sozinho e, como viu que não havia vigilância armada no local, resolveu quebrar a porta de vidro com a marreta para ter acesso ao banco. O fato é que ele não conseguiu completar o assalto.

O delegado ainda informou que havia solicitado as imagens do circuito interno de TV para ter certeza de que o acusado falou a verdade e descartar a participação de outras pessoas no episódio. Cláudio Ricardo teria bebibo muito na noite anterior ao crime. Em depoimento ao delegado, José Custódio da Silva, ele afirmou que foi para casa em Aguazinha, Olinda para pegar a marreta usada no crime.

Ele ainda afirmou, no depoimento, que horas antes de invadir o banco, ele tinha se dirigido até a beira mar da cidade, onde ficou pensando nas dívidas. Só então ele teria decidido praticar o crime. Quando chegou à agência, Cláudio teria revirado as gavetas e tentado quebrar um dos cahes. O acusado acabou autuado por furto qualificado e foi encaminhado para o Centro de Triagem (Cotel), em Abreu e Lima.

Foto: Ana Paula Neiva/ D.P.

domingo, 31 de julho de 2011

Ricardo Xavier deixa o Náutico

O atacante alvirubro Ricardo Xavier pediu à diretoria do Clube Náutico Capibaribe para deixar a equipe, na manhã da última segunda-feira (26/07) alegando problemas pessoais. O centroavante vinha apresentando fraco desempenho ultimamente devido a contusões e o presidente do Náutico, Berillo Júnior, encarou com naturalidade a saída do jogador, em entrevista à imprensa. Problemas internos no clube também podem ter levado o jogador a sair, pois na semana passada ele já havia demonstrado descontentamento por ser escalado como reserva numa partida.

Segundo a diretoria do clube, o jogador perdeu um tio recentemente e o pai está doente. A esposa do atleta teria voltado para sua terra natal, e por isso ele não estava mais disposto a jogar. A rescisão do contrato foi feita de forma amigável, sem a necessidade de cobrar a dívida, pois seu contrato se encerraria em novembro. Depois dessa saída, o Náutico afirmou que não vai contratar outro jogador no lugar de Ricardo, pois ainda conta com outros bons no elenco, como Moisés, Joélson e Paulo Sérgio.

Ricardo Xavier foi artilheiro do Campeonato Pernambucano com nove gols. Considerado um dos melhores jogadores do time, Xavier apresentou boas atuações no Estadual deste ano. Após o Campeonato, o jogador teria passado dois meses fora dos gramados se tratando de uma contusão na panturrilha. Na sétima colocação com vinte pontos, o Náutico enfrentou o Vitória que tinha 17 pontos, às 21h50 da segunda, nos Aflitos. Com a vitória de 2x0, o timbu fica no G-4 com 23 pontos na 4° colocação. Os gols foram marcados por Kieza.

No jogo contra o time baiano, o Náutico não contou com a participação do zagueiro Ronaldo Alves e os laterais Peter e Jeff Silva. No último jogo do alvirubro, na segunda-feira nos Aflitos, todos esperavam receber um grande público, devido a parceria do governo de Pernambuco com o Náutico e demais times pernambucanos com o programa "Todos com a Nota", onde notas fiscais são trocadas por ingressos.

Foto: Rodrigo Lobo/JC imagem

quinta-feira, 7 de julho de 2011

Chaves completa 40 anos de história e série é exibida até hoje

Tudo começou em 1971, quando a extinta Televisión Independiente del México (TV Tim) exibiu os primeiros episódios do seriado Chaves no México. Em 1972, a Televisa comprou a TV Tim e passou a transmitir o programa, que permaneceu mais de dez anos na telinha dos mexicanos. Desde então, foram gravados mais de mil episódios do humorístico. Já no Brasil, o seriado chegou por acaso. Em 1984, num quadro do programa infantil "Bozo", foi exibido o primeiro episódio no Brasil, onde o personagem Chaves caçava lagartixas.

Foi aí que Sílvio Santos resolveu comprar novos capítulos, mesmo com a reprovação de alguns diretores do SBT. Com o tempo, o programa foi ganhando espaço na emissora até conquistar horário fixo na grade, visto que muitas vezes trocava de horário e até era exibido aos fins de semana, impulsionando a audiência para outras atrações.Chaves foi se tornando um dos personagens mais conhecidos da tevê em muitos países, como China, Japão, Coréia, Tailândia, Marrocos, Grécia e Angola.

Roberto Gómez Bolaños, o criador e intérprete do Chaves, hoje aos 82 anos, teve seu trabalho reconhecido em diversas emissoras de tevê e alegrou várias gerações com o seu talento, tudo com muita dedicação. Até os cenários da atração, feitos de madeira e isopor, foram custeados pelo dinheiro do próprio bolso, ainda nos primeiros capítulos do seriado, e o elenco conquistou uma legião de fãs por todo o mundo. Em 1985, devido à popularidade do personagem Quico, Carlos Villagrán, que o interpretava, resolveu se separar do elenco e tentar carreira solo com a criação de seu próprio programa, acompanhado de seu amigo Ramón Valdés (seu Madruga), mas a atração não decolou e os dois atores retornaram ao grupo. No tempo em que estavam afastados, foram criados dois novos personagens para "tapar o buraco": o carteiro Jaiminho e a avó do seu Madruga, dona Neves.

Roberto Bolaños e sua então mulher, Florinda Meza
O sucesso de Chaves atravessou fronteiras e o programa foi exibido em praticamente todos os países da América Latina, em alguns países da Europa e até da Ásia, sendo dublado para diversos idiomas. Atualmente, 15 emissoras de TV em todo o mundo exibem Chaves, incluindo o SBT aqui no Brasil. Ninguém imaginava que um modesto programa de comédia que conta as aventuras de um menino pobre e orfão, fizesse tanto sucesso, visto que, inicialmente, a série foi alvo de críticas no México.

Em homenagem aos 40 anos de sucesso do Chaves, selecionei este episódio, abaixo, gravado numa das poucas vezes em que o elenco estava totalmente reunido.



Hoje em dia, a série se tornou muito popular entre os brasileiros e é considerada um ícone da cultura latino-americana. Mas, apesar do sucesso, o tempo deixou sua marca registrada, pois o fim definitivo do programa se deu em 1995, e desde então não foram gravados novos episódios, tendo em vista que houveram algumas divergências no elenco e o falecimento de alguns atores. Entretanto, alguns integrantes do programa se separaram e resolveram seguir carreira solo, como foi o caso de Carlos Villagrán (Quico), Maria Antonieta (Chiquinha) e Rubén Aguirre (professor Girafales) que fundaram um circo, cada um, onde fizeram shows e apresentações em diversas partes do mundo. Em 2006, os personagens foram revividos, desta vez no formato de desenho animado. Este ano, estreou uma peça de teatro na Cidade do México, inspirada na história.


A separação de alguns atores do elenco resultou numa batalha judicial de direitos autorais movido por Bolaños contra Carlos Villagrán e Maria Antonieta, que não queria ceder seus personagens para outros espaços. Carlos Villagrán chegou a ficar muitos anos sem falar com Roberto Bolaños, e alegou certa vez em entrevista que Bolaños e Maria Antonieta teriam recebido malas de dinheiro de traficantes em troca de atuarem para os filhos deles. Ainda segundo ele, Bolaños o teria chamado também, mas recusou a proposta. Roberto negou e disse não ter mágoa de Villagrán na época.

Episódios perdidos

No último sábado (02/06) o SBT exibiu no programa "Festival SBT 30 anos", apresentado por Patrícia Abravanel, uma interminável busca pelos episódios perdidos do Chaves, atendendo a pedidos de fãs, nos corredores e departamentos da emissora, que não são exibidos há anos. A emissora se justificou alegando que não transmitia os episódios devido à degradação das fitas com o tempo e ao estado da qualidade das imagens, que estavam armazenadas a muito tempo no arquivo. No twitter, uma funcionária do SBT afirmou que a emissora pretende solicitar à Televisa os episódios perdidos e transmiti-los até agosto deste ano.

sexta-feira, 24 de junho de 2011

Bairro do Pina entregue ao abandono

O bairro do Pina ou Polo Pina, como é mais conhecido, localizado na Zona Sul do Recife, já foi considerado um dos lugares mais efervescentes da cidade na década de 1990. Com belos apartamentos com vista privilegiada para o mar e sua orla de praia com 1 km de extensão, que antecede a praia de Boa Viagem, de 8 km, além de barracas de coco no calçadão, quadras esportivas, espaço de skate, pista de cooper e ciclovia, a área atrai todos os anos centenas de turistas de diversas partes do Brasil e do mundo.

Com o findar dos anos 90 e começo dos anos 2000, a região foi perdendo seu potencial turístico e econômico. Comerciantes fecharam suas portas e se mudaram para outros locais. O número de turistas pode diminuir em função da desvalorização da área. Em 2005, a prefeitura tinha um plano de requalificação da localidade, que incluia o projeto de criar um polo turístico na cidade. Intitulado de "Núcleo de Entretenimento do Pina e Brasília Teimosa", o projeto estava orçado em R$ 1,5 milhão de reais, mas não saiu do papel.

Enquanto isso, a população do bairro reclama da falta de valorização da área. Imóveis e prédios comerciais abandonados fazem parte do cenário de um dos bairros que deveria impulsionar o turismo no Recife. Um pequeno trecho de cerca de 200m no final da avenida Herculano Bandeira, ainda conta hoje com algumas lojas como salão de beleza, academia, padaria e hotel que empregam aproximadamente 500 pessoas. Mas as condições da rua de acesso deixam a desejar, com  paralelepípedos afundados em vários trechos. Quando chove, a via alaga impedindo o acesso dos frequentadores. O pórtico de entrada hoje é apenas uma estrutura de concreto em estado precário e a pouca iluminação favorece a ação de assaltantes.

Rua que dá acesso à praia do Pina
Os lojistas que trabalham no bairro temem perder os clientes, num lugar onde o perfil dos pontos comerciais mudou restando apenas três empreendimentos. Pixações também são comuns em prédios e muros. Diante disso, o presidente da Associação dos empresários do Polo Pina, Josias Mariano, se uniu numa mobilização entre a sociedade, a imprensa e o poder público para tentar resgatar o espaço. Os comerciantes reivindicam ações da prefeitura para a melhoria da infraestrutura, possibilitando melhores condições de lazer aos turistas e visitantes.

Fotos: www.pousadapeter.com.br

domingo, 19 de junho de 2011

José Luis Datena aceita proposta da Record e deixa a Band

Depois de um ano de negociações com os diretores da TV Record, o jornalista José Luis Datena aceitou a proposta oferecida pela emissora dos evangélicos, com um contrato de cinco anos. Nos intervalos da Rede Record, foram veiculadas diversas chamadas diárias nos últimos dias para a estreia do apresentador a partir desta segunda-feira. Agora, se encerra um ciclo de oito anos na TV Bandeirantes, como apresentador do Brasil Urgente. Em 2002, quando ele foi para o canal de João Saad, assumiu uma dívida de R$ 20 milhões pela rescisão do contrato com a Record.

No começo deste ano, surgiram rumores de que o apresentador iria para o SBT, mas o mesmo recusou a proposta, alegando que não seria justa sua saída da Band. Agora, de volta à grade da Record, seu salário pode ultrapassar o valor de 1 milhão de reais, diferentemente da proposta oferecida pela TV do homem do Baú, que era de R$ 800 mil e também o que ganhava na Band, em torno de 500 mil reais mensais. Entretanto, o jornalista afirmou em entrevista ao portal Outro Canal que estava tendo problemas com a direção da Band, e que não saiu por dinheiro, alegando ainda que seu salário será menor que o que ganhava na Bandeirantes, que até ofereceu um aumento, mas que foi negado pelo apresentador.


Com receio de perder o público do Brasil Urgente, a Band agora recrutou o jornalista Luciano Facciolli, récem contratado, para comandar a atração, que pode não apresentar os mesmos indíces de audiência depois da saída do Datena. O comandante Hamilton, jornalista que apresenta as manchetes por um helicóptero, também foi efetivado pela emissora. A Record ainda assumiu a dívida contraída por Datena na TV Bandeirantes pela rescisão do contrato e anulou a dívida de R$ 20 milhões gerada em 2002, quando o apresentador saiu da Record para integrar a Band.


O jornalista também participou de uma entrevista com direito a café da manhã no Hoje em Dia, na última sexta-feira (17), programa matinal da Record, juntamente com os apresentadores da atração (Chris Flores, Gianne Albertoni, Edu Guedes e Celso Zucatelli) e falou um pouco sobre sua carreira. O programa relembrou a primeira edição do Cidade Alerta, programa policial apresentado por Datena e exibido pela TV Record há dez anos, mas que não atingiu o resultado esperado de audiência na época. Com seu sucesso na TV Band, a Record espera que o novo Cidade Alerta, que tem o mesmo formato do Brasil Urgente, garanta mais audiência e impulsione sucesso para os programas do horário da noite.

domingo, 5 de junho de 2011

Vitória do Sport sobre o Barueri garante vaga no Campeonato Brasileiro


Depois da derrota do Sport sobre o Santa Cruz no Campeonato Pernambucano, uma luz no fim do túnel soa como esperança para o time leonino. Agora, o Sport é o líder isolado da série B do Campeonato Brasileiro. Depois de ter vencido o Grêmio Barueri por 1x0 na última terça-feira (31) na Ilha do Retiro, o time agora pode estar mais próximo de conquistar a liderança da série A. Para o técnico Hélio dos Anjos, ainda falta muito. Segundo ele, o importante é estar no G4. Ainda assim, o técnico admite que será importante para o Leão permanecer mais uma rodada na  disputa pela primeira colocação.

Marcelinho Paraíba, aos 30 minutos do primeiro tempo, marcou o gol que garantiu a vitória rubro-negra. O goleiro Juninho, do time adversário, deixou a bola escapar por baixo de seus braços. Aos 45 minutos do primeiro tempo, Pedrão marcou mas o árbitro anulou marcando o impedimento. Antes do gol que trouxe a vitória para os rubro-negros, Marcelinho Paraíba aos 22 minutos do primeiro tempo tentou golear o Barueri, mas o goleiro fez uma boa defesa. Aos 27 minutos foi a vez de Wellington Saci tentar o gol, mas o lateral acabou chutando para fora da área.

O técnico do Barueri, Sérgio Soares nem esperou pelo fim do primeiro tempo para alterar a equipe. Ele tirou o lateral Willian e colocou mais um atacante, com a entrada de Marcelinho, aos 40 minutos. No segundo tempo, Ruan veio no lugar de Bruno Mineiro, jogando pelo Sport. Diferente do primeiro tempo, o time voltou com mais força ofensiva. O Barueri se mandou para o ataque abrindo espaços para o Sport abrir o contra-ataque. Na falha de German, aos 21 minutos, veio a resposta do Barueri e a bola sobrou para Marcelinho e Alex Maranhão. O Sport voltará a campo no dia 11 para enfrentar o ASA/AL.

Foto: www.digaofutebol.com

domingo, 22 de maio de 2011

Prefeitura do Recife apresenta projetos para melhorar o trânsito na cidade

Há duas semanas, o prefeito do Recife, joão da Costa, anunciou medidas para melhorar o tráfego de veículos na cidade. A cada ano, o número de carros só aumenta e, dessa forma, a tendência do trânsito é piorar cada vez mais. Motoristas reclamam dos semafóros, que quebram constantemente ou que passam pouco tempo fechados para os carros, sem que haja tempo para que os veículos da frente possam chegar ao próximo semáforo, que fecha novamente. Resultado: trânsito lento e congestionamentos.

Para os usuários de transporte público, não é diferente. Muitos reclamam da demora dos ônibus e da superlotação, o que os obriga a viajarem em pé e apertados nos coletivos. A frota de ônibus velhos em algumas empresas também chama a atenção de quem os utiliza diariamente. Para melhor atender a população, o governo do estado anunciou, no começo deste ano, a construção de novos terminais de ônibus, que deverão ser entregues até 2012, e que fazem parte da ampliação do Sistema Estrutural Integrado (SEI). Já a prefeitura deu início à repintura de faixas e setas nas pistas, que estavam apagadas e desgastadas. Segundo a prefeitura, a ação só poderia ser realizada depois que acabasse o período de chuvas, que durou quase duas semanas, no mês passado.

O plano de ação lançado no Recife para melhorar o trânsito, anunciado na quarta-feira do último dia 11, prevê uma série de ações que devem ser realizadas dentro de um ano. Dividido em nove metas, o conjunto de serviços está orçado em quase R$  18 milhões. Serão adotados os projetos de sinalização e manutenção, criação de giradouros, concurso público, modernização de semáforos, disciplinamento de cargas e descargas, entre outros. Os 18 quilômetros de ciclovias do Recife, em diversos bairros, serão revitalizados.

Ações para melhoria dos semáforos da cidade deve durar quatro meses
Em relação à manutenção semafórica, a prefeitura resolveu implantar baterias de até três horas de duração para evitar que os semáforos parem de funcionar durante as chuvas, quando há queda e variação de energia. A modernização ainda inclui gabinetes que irão proteger os controladores contra a umidade, e devem ser concluídos em até quatro meses. O primeiro corredor a ser atendido será a avenida Agamenon Magalhães, um dos prinipais corredores viários da cidade, e deve custar R$ 2 milhões aos cofres municipais. O Recife, por ser uma cidade antiga e com excesso de urbanização, não tem espaço físico para a construção de viadutos ou abertura de novas vias, sendo necessária, portanto, políticas públicas e ações emergenciais para controlar o trânsito, além de investimentos em transporte público.

Via Mangue

Para dar maior fluidez ao trânsito aos motoristas que se dirigem à zona Sul da capital, a prefeitura anunciou esta semana que assinou o contrato de financiamento para a execução do projeto da Via Mangue, que deve começar ainda este ano. Será construída uma via na ponte Paulo Guerra, no Pina, que vai desafogar o fluxo de veículos da região ligando a avenida Antônio de Góis à rua República Árabe Unida, que inclui um túnel que passará por baixo da avenida Herculano Bandeira. As obras ainda vão beneficiar 1.100 moradores de baixa renda, que serão relocados para moradias que também serão construídas.

Fotos: www.recife.pe.gov.br/www.flaviochaves.com

domingo, 10 de abril de 2011

Rapaz entra em escola, mata 12 estudantes e fere outros 12 no Rio de Janeiro

Um crime que chocou o Brasil. Na manhã da última quinta-feira, (07/04) por volta das 08h00 da manhã, Welington da Silva Menezes, de 23 anos, ex-aluno da escola municipal Tasso da Silveira, no bairro do Realengo, Zona Oeste do Rio, chegou na porta da escola apresentando uma carteirinha de ex-estudante da instituição e disse que ia fazer uma palestra, já que a unidade escolar estava completando 40 anos de atividade. Uma professora o viu e o reconheceu como ex-aluno da unidade, já que Wellington estudou na escola durante quatro anos (1999/2002). Quando chegou em uma das salas de aula, no 1° andar, sacou um revólver calibre 38 e começaram os disparos. O crime ganhou repercussão nacional e internacional, e a imprensa estrangeira deu destaque ao crime que aconteceu no Brasil, visto que atentados semelhantes aconteceram, nos últimos anos, em escolas americanas.

O título de uma reportagem exclusiva sobre o caso estampada na capa do jornal Diario de Pernambuco, dizia assim: "12 mortos, 190 milhões de feridos", fazendo uma comparação com a dor dos familiares das vítimas em relação à revolta de todos os brasileiros e brasileiras por um crime que chocou e emocionou a um país inteiro. Na sexta-feira, um dia após o episódio, a escola amanheceu de luto e dezenas de pessoas,  entre familiares, amigos, vizinhos e curiosos prestaram homenagens às vítimas com fotos, flores e velas, além de mensagens escritas em cartazes na frente do prédio da escola. A direção do colégio afirma que não há previsão de retorno dos estudantes às aulas.

Foto mostra a frente da escola pouco depois dos tiros.
O clima de dor e revolta por um crime tão brutal tomou conta de familiares minutos depois dos tiros, e a polícia foi chamada por duas estudantes feridas. Um policial entrou na escola e encontrou o atirador, que apontou a arma em sua direção, mas acabou sendo baleado no abdômem pelo policial, que agiu rápido. Após cair no chão, o assassino se matou com um tiro na cabeça, vindo à óbito. Segundo o policial,  "Ele estava com um olhar transtornado, determinado a continuar aquela chacina" afirmou. Se não tivesse agido rápido, Wellington teria feito mais vítimas. O policial ainda disse que, em 18 anos de profissão, nunca tinha visto coisa parecida. Pouco depois do crime, a tensão e os gritos de socorro tomaram conta dos corredores da escola. Muitos pais deseperados e sem notícias dos filhos ficaram sem saber o que fazer. Quando um tumulto de pessoas começou a se formar, um policial permitiu a entrada das pessoas no prédio da escola.

 A presidente Dilma Rousseff decretou, no mesmo dia do massacre, luto oficial de três dias. A presidente se emocionou e pediu um minuto de silêncio em homenagem às crianças assassinadas, durante cerimônia de formação de empreendedores individuais, no Planalto, em Brasília. Dilma ainda lamentou o crime e afirmou que o dia do ocorrido (quinta-feira) foi um dia muito triste para os brasileiros."Esse é um país que sempre teve uma relação de grande carinho cultural pelas crianças. É inadmissível violência em geral, mas a violência contra as crianças coloca todos nós em sensação de grande repúdio”, disse. “Encerro meu pronunciamento cumprimentando os empreendedores individuais, mas, sobretudo, homenageando crianças inocentes que perderam a vida e o futuro neste dia, lá em Realengo." (...) afirmou.

Com a repercussão do episódio, está sendo discutido em Brasília a instalação de detectores de metal na entrada de escolas públicas. Este é o projeto de lei que propõe o deputado federal Sandro Mabel (PR-GO), que apresentou o projeto à Câmara dos Vereadores em Brasília. Segundo o deputado, esta seria uma medida para inibir a violência nas escolas, como o que aconteceu na escola do bairro do Realengo, no Rio. Outro projeto semelhante tramita na Câmara Municipal do Rio de Janeiro, de autoria da vereadora Teresa Bergher (PSDB).

A violência do crime cometido por Wellington na última quinta-feira reacende a polêmica da violência nas escolas e serve de alerta para o Brasil. Segundo a irmã do rapaz e pessoas próximas, ele era uma pessoa retraída e pouco falava com as pessoas, além de passar maior parte do tempo em casa na internet. Wellington não tinha amigos e era  vítima de bulliyng, palavra de origem inglesa que em português significa intimidar, amedrontar, humilhar e refere-se a atitudes ameaçadoras e intimidações por partes de outros alunos, com perseguições dentro e fora da escola e violência física e psicológica.

Em abril de 1999, um crime semelhante chocou a população americana: dois jovens, um de 17 e outro de 18 anos mataram 13 colegas e um professor na Columbine High School, no Colorado, Estados Unidos, suicidando-se em seguida. Eles estavam revoltados por não serem populares na escola e mostravam seu ódio na internet. Um deles tinha um site no qual escrevia planos de vingança. Em 2007, um estudante de origem coreana matou 32 estudantes e feriu 15 no campus da universidade Virgínia Tech, onde estudava. Horas antes do atentado, ele enviou pelos correios para a rede de TV NBC um pacote com 43 fotografias, 27 arquivos de vídeo e 23 páginas de texto mostrando que o crime foi planejado. Após os tiros, ele se matou. Em novembro do mesmo ano, na Finlândia, outro massacre ocorreu. Um estudante de 18 anos disparou contra colegas e professores no bairro de Tuusula, deixando um saldo de 8 mortos.  Em seguida, ele se suicidou. O que chama a atenção é que horas antes de promover o atentado, ele postou um vídeo na internet anunciando que cometeria o crime.

Esse vídeo, abaixo, postado no You Tube mostra os momentos de tensão após os tiros na escola do bairro do Realengo.


Carta deixada pelo atirador


Com mensagens de cunho religioso, Wellington da Silva Menezes surpreendeu as autoridades ao deixar essa carta citando Deus e Jesus, que, segundo a imprensa, remete ao islamismo. Especialistas tentaram  traçar um perfil do criminoso avaliando a carta escrita por ele. Em sua casa, antes de praticar o atentado que fez várias vítimas e acabar morto, o rapaz tentou destruir as provas do planejamento do crime, como o seu computador, que apareceu completamente queimado. Dias antes da tragédia, o assassino ainda anunciou por meio de um site de relacionamentos da internet que praticaria o massacre. Em poucas horas depois do crime, surgiram na internet várias manifestações de repúdio ao atentado ocorrido na escola. O corpo do rapaz  se encontra no Instituto de Medicina Legal (IML), e se não aparecer ninguém da família para liberar o corpo num prazo de 15 dias, ele será enterrado como corpo não reclamado.

quarta-feira, 30 de março de 2011

Morre José Alencar, ex-vice-presidente da República, aos 79 anos

O ex-vice-presidente da República José Alencar morreu em  São Paulo aos 79 anos

Exemplo de vida e superação. Essas foram as duas características que marcaram a história do empresário e ex-vice-presidente da República José Gomes de Alencar, que lutava contra um câncer no abdômem desde 1997, quando descobriu a doença. Alencar deu entrada no hospital Sirio Libanês, no Rio de Janeiro, por volta das 12h da última segunda-feira (28) e precisou ser internado, devido ao agravamento de seu estado de saúde. Ele faleceu ontem (29) por volta das 14h45 por falência múltipla dos órgãos. Durante mais de uma década lutando para superar a doença, o ex-vice-presidente já passou por 17 intervenções cirúrgicas e fazia quimioterapia para tratar o câncer, mas nunca demostrou apatia ou preocupação e sempre estampava um sorriso no rosto.

Durante todo o tempo que José Alencar ficou internado no hospital desde a última segunda, o esforço dos médicos esteve concentrado em minimizar o sofrimento do paciente. Segundo o médico Raul Cutait, "não havia mais condições de tratamento cirúrgico". O médico ainda declarou que a equipe médica dava todo o suporte para ele não sofrer, enquanto estava sedado na sala de cirurgia. Faltando pouco mais de dez minutos para a confirmação da morte do ex-vice-presidente, os médicos já não tinham mais esperanças. 

As vezes que precisou ser internado, quando recebia alta José Alencar de bom humor sempre brincava com os jornalistas ao sair da unidade de saúde e fazia questão de se dirigir direto para o Congresso Nacional para trabalhar.  Nascido em Muriaé, interior de Minas Gerais, Alencar teve seu primeiro emprego como balconista de uma loja de tecidos, com apenas 14 anos de idade. Anos mais tarde, em 1967, fundou sua própria empresa têxtil, a Coteminas, uma das maiores empresas do ramo de tecidos do País. Seu sucesso como empresário abriu portas para que ele pudesse entrar na política.

O político já foi presidente da Fiemg (Federação das Indústrias do Estado de Minas Gerais). Em 1993, ele filiou-se ao PMDB e, no ano seguinte, se candidatou ao cargo de governador de Minas, pelo qual não conseguiu ser eleito. Só em 1997 ele conseguiu se eleger a senador federal em Minas Gerais. Integrante do PL, em 2002 foi escolhido para ser o vice na chapa de Luiz Inácio Lula da Silva (PT). A partir daí se tornou o vice-presidente em exercício e, devido à reeleição de Lula, ficou no poder como vice durante oito anos. Em 2004 assumiu também o cargo de ministro da Defesa, ao qual permaneceu até 2006.  

Foto: AP/rollingstone.com.br

domingo, 20 de março de 2011

Japão sofre o pior terremoto da história do país

Mapa localiza epicentro do tremor
O forte terremoto de magnitude 8,9 que atingiu o nordeste do Japão causou a maior destruição por tremor de terra na história do país. Após o tremor, os japoneses ainda conseguem encarar com integridade sua pior crise desde a 2° Guerra Mundial. Um tsuname também atingiu o Japão, devido ao terremoto ter se originado no mar. Vários países, inclusive o Brasil, estão enviando ajuda como água, comida e tropas militares para missões de paz.

Os tremores se iniciaram por volta das 2:45 h da madrugada (horário de Brasília) do último dia 11 (sexta-feira) e deixaram grandes prejuízos. Estabelecimentos comerciais, prédios, casas, fábricas e até estações de trem tiveram perdas incalculáveis. Conforme evolui a situação, as perdas derivadas do terremoto continuam aumentando. Segundo cálculos de duas empresas americanas, os prejuízos podem ultrapassar os US$ 100 bilhões. Além de ser um país vulnerável a grandes terremotos, o arquipélago japonês é uma das zonas com maior atividade sísmica do mundo, pois se localiza próximo à divisão de duas placas tectônicas.

As operações de resgate aos milhares de desaparecidos contam com um contingente de especialistas em salvamento de quase 70 países. Até a China, que mantém tensas relações com o Japão, anunciou o envio de uma equipe para a nação vizinha. Em meio a tanta devastação, as equipes de resgate tentaram, sem sucesso, resfriar reatores da usina de Fukushima. Mas um dia após o tremor, a usina nuclear de Fukushima  sofreu uma explosão. O temor agora é que a radiação cause danos irreversíveis à saúde da população japonesa. Até países vizinhos temem que a radiação se espalhe, contaminando também seus habitantes. Moradores dos arredores da central nuclear foram aconselhados a permanecer em casa, proteger o rosto com máscaras ou toalhas molhadas e não beber água encanada. O local apresenta um nível de radioatividade 20 vezes superior às condições normais. Segundo especialistas, os efeitos do contato com a radiação provoca alterações na célula, mutações, problemas na tireóide e esterilidade, além de diversos tipos de câncer.

Devastação afetou o nordeste do Japão

O nível de radiatividade subiu para acima do nível permitido, e isso se somava aos esforços exaustivos de especialistas para tentar reduzir o superaquecimento de vários reatores. A situação da usina de Fukushima, situada a cerca de 270 km de Tóquio, é tensa. O governo japonês centralizou os esforços em diminuir a temperatura em dois dos seis reatores de água em ebulição da central, o 1 e 3, que estão operando desde 1971 e 1976, respectivamente. Os responsáveis da central ainda injetaram água do mar para tentar abaixar a temperatura e evitar um desastre, embora fosse constatado problemas em uma válvula.

Cerca de 180 mil moradores foram retirados de suas casas, num perímetro de 20 km em torno da central, mas pouco mais de trinta pessoas ficaram expostas à radiatividade e a preocupação das autoridades japonesas é que esse número se some às 160 pessoas que serão submetidas a exames. Até agora, 11 usinas detiveram sua atividade após o tremor, como estabelece o protocolo japonês de emergência. Segundo a revista Veja, o terremoto já havia provocado uma alteração de 16,9 centímetros no eixo da Terra, além de acelerar em 1,8 milionésimo de segundo o movimento de rotação do planeta. O caos ocorrido no Japão  com a ameaça de uma contaminação em massa por altos níveis de radiação chegou a ser comparado ao que aconteceu em Chernobyl, na Ucrânia, em 1986, quando um acidente de proporções semelhantes numa usina contaminou cerca de 2,3 milhões de pessoas e foi considerado o pior acidente nuclear da história.

Fotos: g1.com.br e planetx.com.br

domingo, 13 de março de 2011

Recife e Olinda comemoram aniversário com o tradicional corte do bolo


As duas cidades vizinhas Recife e Olinda comemoraram hoje o aniversário de ambas. Apenas dois anos separam o tempo de fundação das duas cidades pernambucanas: Recife completa 474 anos e Olinda, 476. Em clima de festa, com direito até ao tradicional corte do bolo, que acontece todos os anos, o prefeito do Recife, João da Costa, fez questão de partir o bolo de 474 quilos, na festa que aconteceu no bairro da Várzea. Até amanhã (13/03) estão programados shows para comemorar o aniversário.


A abertura dos shows começou na última quinta-feira e amanhã o público vai poder contar,  a partir das 18:00 h no Marco Zero, com a presença de Elba Ramalho, Antônio Carlos Nóbrega, Silvério Pessoa, a Orquestra Popular do Recife, que vai tocar muito frevo, e da cantora carioca Fernanda Abreu. Na praça da Várzea, zona oeste, a concentração foi marcada por apresentações culturais, às 10:00 horas da manhã. Pela primeira vez, a cerimônia saiu da praça do Arsenal (Recife antigo) e foi para a praça da Várzea, onde aconteceu pela manhã, e não às 18:00 horas, como nos anos anteriores. Em Olinda, o corte do bolo foi realizado às 19:00 h de hoje, na rua 15 de novembro, em frente à prefeitura. Após a comemoração, houve o encontro de 32 blocos líricos de todo o Estado. Os desfiles remetem à folia carnavalesca e se estenderam até às 23:00 deste sábado.

História

O Recife surgiu como uma pequena vila pertencente ao território de Olinda, que naquela época era a capital de Pernambuco. Aos poucos foi ganhando força econômica e política, separando-se de Olinda e tornando-se a capital pernambucana. Olinda ainda preserva os casarões coloridos que são patrimônio cultural da humanidade. A cidade se destaca pela cultura, e do Alto da Sé, é possível observar parte do Recife no trecho da divisa com Olinda, limitando-se ao Porto do Recife. Com suas belas pontes sob o rio Capibaribe, Recife é considerado a Veneza Brasileira e convida o turista a passear por suas ruas e pontes.

Foto: Rede Globo Nordeste/reprodução